Construindo com Terra

967dd25ad460469d40c363e3be7cda3eA terra é o material mais abundante do planeta e também um dos mais eficientes na construção de habitações ecológicas. Por ser facilmente encontrado, está presente na maioria das construções feitas pelo mundo e estimasse que mais de 50% da população mundial hoje viva em habitações construídas com terra.

Além de ser um material abundante, e por isso barato e fácil de encontrar, através da sua elevada capacidade de absorção da umidade (higroscopicidade) as paredes de terra melhoram a qualidade do ambiente interior, ajudando a compensar os picos de umidade, absorvendo também toxinas e impurezas do ar.

As técnicas de construção com terra são relativamente simples e qualquer pessoa com um treinamento básico e um estudo das técnicas tradicionais e inovadoras atualmente difundidas pode começar a construir sua própria casa.

Testando a terra.

IMG_1464Antes de tudo, no entanto, é preciso saber qual tipo de terra é boa para construção. Os solos são uma combinação de areia, argila, silte, pedras e matéria orgânica. Normalmente as camadas superficiais tem uma quantidade maior de matéria orgânica e não é recomendável em construções. O ideal é buscar no sub-solo, a mais ou menos 40cm de profundidade, o material que irá usar para construir.

Cada técnica de construção necessita de um tipo de massa diferente. No entanto a maioria delas utiliza uma proporção de 15-50% de argila para 50-85% de areia. Existem vários testes que podem ser feitos para atestar a qualidade do solo, alguns deles são:

Teste do potinho.

da44bc0c5860d761f90ef0039b2281c0Em um frasco de vidro com tampa coloque um pouco do solo que você quer testar.
Complete com água até 3/4 do volume do vidro.
Agite bem até que todo solo tenha se dissolvido na água.
Deixe o frasco em um local claro e aguarde a sedimentação.

O processo de sedimentação pode levar alguns dias, espere até que a água fique clara. A areia, a argila, o silte e a matéria orgânica se sedimentarão separadamente: a areia se assenta no fundo e a argila por cima. Entre as duas haverá uma pequena camada, o silte. A matéria orgânica tende a flutuar. Observe as camadas e determine as proporções de argila e areia.

Teste da bolinha.

4B_bolinhaaApós fazer o teste acima corrija o solo utilizado para que ele mantenha as proporções desejadas, conforme as técnicas descritas abaixo.

Quando a mistura estiver pronta pressione contra a palma da mão formando uma esfera do tamanho de uma bola de tênis. Leve a esfera até a altura do peito e deixa-a cair soltando das mãos.

Se a esfera se achatar demais ao cair é por que apresenta excesso de argila. Se ficar com muitas rachaduras, embora unida, é porque tem areia demais. Repita o teste até que a esfera caia e mantenha sua forma mesmo após o impacto com o chão.

Preparando a massa.

Feito o teste da qualidade da massa e da quantidade de argila e areia encontrada na terra podemos dar início a fase de construção.

Saiba como fazer a mistura adequada para a técnica que pretende utilizar:

Pau a Pique, Cob e Adobe.

Pau a pique9A mistura para a produção de uma casa de pau a pique, cob ou tijolos de adobe é praticamente a mesma. Pode-se fazer a massa com qualquer tipo de solo, eles não exigem uma mistura muito precisa de argila e areia. Deve-se observar, no entanto, que dependendo do tipo de solo a massa ficará mais ou menos resistente. O barro ideal para essas técnicas deve ter cerca de 30% de argila.

Utilizam-se 3 partes de terra para cada 1 parte de areia. Acrescenta-se palha e água aos poucos, pisando a mistura até que ela atinja uma forma homogênea. Para ajudar na mistura pode-se usar uma lona de 3X4m que facilita na hora de levar a terra debaixo pra cima da massa.

A diferença entre essas técnicas é que para fazer as paredes de pau a pique deve-se fazer uma trama com madeira ou bambu e ‘bater’ a massa diretamente na estrutura. O cob dispensa a trama porém as paredes precisam ser mais grossas para garantir uma boa sustentação do telhado. Já os tijolos de Adobe precisam de uma fôrma de madeira para sua produção, onde são criados os tijolos.

Apesar de essencialmente apresentarem muitas diferenças na forma de produção e no tempo de construção, a principal diferença entre essas técnicas é que o Cob dispensa as colunas de sustentação pois suporta com suas paredes o peso do telhado (autoportante) enquanto o pau a pique e o adobe necessitam das colunas de sustentação.

Terra Ensacada e Taipa de pilão.

casa de terra ensacada4As técnicas de Terra Ensacada e Taipa de Pilão são bem parecidas pois não necessitam de nenhuma mistura para a sua produção. Para começar a sua casa você irá precisar apenas de terra peneirada, um saco de polipropileno ou madeira e um pilão. Ambas as técnicas são autoportantes e sustentam o peso do telhado sem precisar de colunas de sustentação. No caso da Taipa de Pilão, você deve fazer a fôrma de madeira antes de pilar a terra no formato das paredes. As técnicas de super-adobe (sacos de polipropileno) e hiper-adobe (malha raschel) substituem a fôrma de madeira utilizando sacos, e por isso é também conhecida como Taipa Ensacada.

Técnicas de Acabamento.

A aplicação de superfícies protetoras tem como princípio gerar superfícies mais resistentes que as dos sistemas construtivos da base, mas sem que se perca a capacidade de troca de ar e vapor de água com o meio ambiente.

Conheça algumas técnicas de reboco e saiba fazer um revestimento utilizando apenas materiais de baixo impacto ecológico:

Reboco grosso.

IMG_9388O reboco grosso é ideal para cobrir as imperfeições de uma parede construída com adobe, cob, pau a pique ou mesmo terra ensacada. É utilizado antes do reboco final, dando um formato para as paredes que receberão o acabamento. Ao encobrir essas imperfeições o reboco grosso economiza os materiais do reboco fino, que em geral são mais caros e trabalhosos, poupando energia e tempo na construção de paredes mais lisas.

O reboco grosso é uma mistura de:
.2 partes de terra
.1 parte de areia
.1 parte de esterco de vaca seco e peneirado.
.1/4 parte de grude (polvilho doce)
.250 ml de óleo de linhaça
.água

O grude deve ser preparado junto com a massa e ser utilizado ainda morno, mantendo o seu poder de coesão. Adicione 250g de polvilho doce a 3 litros de água fria e misture. Depois adicione 6 litros de água fervendo e misture sobre fogo brando por alguns minutos. Desligue o fogo e adicione o grude a massa.

Reboco com Cal.

banheiro seco2O reboco com Cal é muito eficaz na manutenção da temperatura e qualidade do ar ambiente devido a sua propriedade higroscópica.

O princípio geral consiste na aplicação de pelo menos duas camadas sobrepostas. A primeira tem 2 cm a 3 cm de espessura e é feita com materiais de granulometria mais grossa; e a segunda camada, com alguns milímetros de espessura, é feita com materiais de granulometria fina.

As misturas a aplicar devem ter um período de repouso para que os materiais que as compõem aumentem sua capacidade de aderência. A Cal deve ser hidratada em água fria por ao menos sete dias, sendo revolvida diariamente.

A argamassa de cal e areia se inicia com o peneiramento da areia, seguida da adição da cal (em pasta). Acrescente água (pode ser a mesma água que foi utilizada para hidratar a cal) e misture.

A areia para a primeira camada deve passar por uma peneira com abertura de 5 mm e misturada em uma proporção de 3 volumes de areia por 1 volume de cal. Para a camada final, a areia deve passar por uma peneira de 2 mm e misturada em uma proporção de 2 volumes de areia por 1 volume de cal.

Igual ao revestimento de barro, o processo inicia pela limpeza do pó na superfície, seu umedecimento, a aplicação da mistura e a secagem. A segunda camada tem poucos milímetros de espessura e é aplicada sobre a anterior, também umedecida, com a desempenadeira, até se obter a superfície lisa.

Mãos a obra!!

Bibliografia:
.Técnicas de Construção com Terra. Célia Borges e Obede Borges Faria. FEB/UNESP 2011.
.Soluções Sustentáveis, construção natural. André Soares. IPEC 2012.

Anúncios