Agroecologia e a produção sustentável de alimentos.

horta do ArgeuO primeiro passo para começar uma vida sustentável é produzir alimentos orgânicos ou agroecológicos no quintal da sua casa, bairro ou ecovila.

Uma produção agroecológica, ou mesmo orgânica, deve ser diversificada e seguir um calendário biodinâmico. Os alimentos a serem plantados variam a cada época do ano. A cada estação, folhas, raízes, grãos e frutos característicos preenchem a mesa da população do campo. O momento de comer cada alimento é aguardado e sua chegada é celebrada com festas tradicionais da roça.

Com o objetivo de incentivar a produção sustentável de pequenos agricultores do Brasil que foi criado o P.A.I.S. (Produção Agroecológica Integrada e Sustentável), projeto do Sebrae de apoio a Agricultura Familiar.

Ele propõe um sistema-modelo de produção de hortaliças, de frutíferas e pequenos animais, com apoio e assistência técnica Agroecológica. Os agricultores escolhidos recebem um kit com algumas ferramentas e tecnologias rurais a serem implementadas em sua horta.

(http://www.mds.gov.br/segurancaalimentar/desenvolvimentoterritorial/consad/producao-agroecologica-integrada-e-sustentavel-pais )

Assim, o programa procura trazer mais alimento, trabalho e renda para o campo aliando a agricultura familiar à produção de alimentos saudáveis e sustentáveis.

PAISCarlinhos é um dos agricultores que recebeu o kit de ferramentas do PAIS. Ele vive em um sitio de 18 hectares. Preocupado com a saúde, sempre manteve uma produção sem agrotóxicos ou com muito poucos insumos. Sua produção alimenta sua família e ainda sobra alguns produtos que são vendidos aos vizinhos ou no mercado local.

Com a chegada do PAIS, Carlinhos produziu canteiros maiores, com maior diversidade e quantidade de espécies. O incentivo do PAIS trouxe ao Carlinhos uma horta extremamente produtiva.

Mas a produtividade de Carlinhos esbarrou em um problema muito comum entre os agricultores familiares: a dificuldade de escoamento da produção.

Infelizmente, as pessoas da região, moradores e visitantes, não estão acostumados a comprar de pequenos produtores locais.

O mercado diz que precisa encomendar grandes quantidades e que a produção da agricultura famliar é pequena e incerta. Os moradores não compram, alguns porque também produzem suas próprias hortas caseiras. E os visitantes não compram porque não possuem o hábito ou não conhecem os produtores locais.

Uma prática econômica vital para a sobrevivência de qualquer modelo de agricultura sustentável é o consumo pelos visitantes ou pelos moradores do local. Dessa maneira se evita o desperdício de alimentos e da energia gasta com o transporte e comercialização dos produtos.

Procure, sempre que puder, comprar alimentos de produtores locais. Faça parte dessa rede de economia sustentável. Participe ou crie Feiras Orgânicas locais. Essa é uma importante estratégia para diminuirmos a inflação dos alimentos e a dependência às grandes empresas do ramo.

Anúncios