Construindo Habitações Sustentáveis.

A construção civil e a degradação ambiental.

cidadeAtualmente, o setor da construção civil é um dos mais lucrativos mercados no mundo todo. E também um dos setores no Brasil que mais empregam, responsável por 2,327 milhões de empregos diretos e indiretos, de acordo com pesquisa do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) e da FGV (Fundação Getulio Vargas).

No entanto, é um dos setores que mais contribuem para a degradação ambiental, responsável pelo consumo de cerca de 75% dos recursos naturais do país.

Além disso ainda é um dos setores que produzem mais lixo urbano. O economista e mestre em tecnologia ambiental Elcio Carelli, da empresa Obra Limpa, afirma que 60% do total de resíduos produzidos nas cidades brasileiras têm origem na construção civil. “Em São Paulo, estima-se a geração de 17 mil toneladas/dia de resíduos, sendo que 30% vêm da construção formal e o restante da informal”, diz ele.

A produção de materiais de construção é, ainda, responsável por poluição que ultrapassa limites tolerados em poeira e CO2. O processo produtivo do cimento gera excessiva emissão de gás carbônico, um dos principais causadores do efeito estufa. Para cada tonelada de clinquer (componente básico do cimento) produzido, mais de 600 kg de CO2 são lançados na atmosfera.

 A construção civil também é o setor que mais utiliza água e energia no país. Estima-se que ele utilize 44% de toda a energia nacional. Nas áreas urbanas a água utilizada pelas edificações pode variar entre 50% e 60%, podendo chegar, como é o caso em Vitória (ES) a 84% de toda a água potável consumida na cidade, como afirma a Cesan, Companhia Espírito Santense de Saneamento.

A solução sustentável.

eccovilaAs cidades crescem de maneira desordenada causando a degradação dos recursos naturais e produzindo moradias que não possuem condições básicas de higiene e de saúde. Diante desse panorama, a construção de habitações sustentáveis se torna fundamental no mundo de hoje.

Se tratam de técnicas tradicionais e de novas tecnologias que buscam reduzir o impacto ecológico das habitações humanas, aplicando abordagens sistêmicas que integrem a produção de resíduos à geração de novos recursos, criando um ciclo de vida auto-regenerativo.

Materiais utilizados:

Ao escolher os materiais que serão utilizados, devem ser priorizados materiais que sejam abundantes no local e bem adaptados ao clima da região, que não exijam demasiada energia para o transporte e para o uso.

Utilizar materiais naturais com grande capacidade de regeneração produz um menor impacto no ecossistema. Reutilizar materiais descartados pode ser uma maneira eficiente de economizar recursos.

Design Integrado:

O design das construções também deve aproveitar as orientações bio-climáticas como o relevo e a direção do sol e do vento para criar ações de eficiência energética, economizando assim recursos para iluminação e aquecimento ou resfriamento da habitação.ecovila

A abordagem sistêmica garante à habitação autonomia e independência, através de uma rede complexa de multi-geração de recursos. Por respeitarem o local em que vivem, fazendo uso consciente dos recursos naturais, as habitações sustentáveis possuem um menor grau de vulnerabilidade às transformações climáticas globais.

Encontradas típicamente em ambientes rurais, as bioconstruções estão cada vez mais presentes nas grandes cidades. Pequenas comunidades e institutos ecológicos se multiplicam ao redor do planeta.

Exemplos de construções sustentáveis estão sendo criados em diferentes climas e ecossistemas. Uma amostra de que as bioconstruções podem sobreviver e se adaptar bem a qualquer região.

Alguns princípios das habitações sustentáveis:

  • Uso da permacultura como princípio básico de design.
  • Produção de alimentos em pequena escala, com cultivos horticulturais.
  • Uso de biomassa para cozinhar e para aquecimento do lar.
  • Aproveitamento da água da chuva e irrigação com águas cinzas.
  • Tratamento local de esgoto e reuso do efluente tratado, incluindo sanitários secos compostáveis.
  • Compostagem dos resíduos orgânicos.
  • Instalações compartilhadas – jardins e hortas, casa comunitária, cozinha externa, abrigo para lavanderia e bicicletário.
  • Modelo de propriedade da terra comunitário ou por associações.

Abaixo estão algumas das principais técnicas de bioconstrução:

earthbag6Hiperadobe:

A técnica da terra ensacada, também chamada por “superadobe” é um processo construtivo, no qual sacos de polipropileno são preenchidos com solo argiloso e moldados no próprio local através do apiloamento do mesmo por processo artesanal.

parede de adobeAdobe:

O adobe é um material vernacular usado na construção civil. É considerado um dos antecedentes históricos do tijolo de barro e seu processo construtivo é uma forma rudimentar de alvenaria. Adobes são tijolos de terra crua, água e palha e algumas vezes outras fibras naturais, moldados em fôrmas por processo artesanal ou semi-industrial.

Cob01[1]Cob:

Cob é um material de construção composto por terra, areia e palha, similar ao adobe. O Cob é a prova de fogo, resistente a atividade sísmica e com custo quase nulo. Pode ser usado para criar formas artísticas e esculturais, dando liberdade às formas da bioconstrução.

pau_a_pique_01Pau-a-pique ou Estuque:

Pau-a-pique, também conhecida como taipa de mão, taipa de sopapo ou taipa de sebe, é uma técnica construtiva antiga que consistia no entrelaçamento de madeiras verticais fixadas no solo, com vigas horizontais, geralmente de bambu amarradas entre si por cipós, dando origem a um grande painel perfurado que, após ter os vãos preenchidos com barro, transformava-se em parede. Podia receber acabamento alisado ou não, permanecendo rústica, ou ainda receber pintura de caiação.

maxresdefaultTaipa de Pilão:

Esta tecnologia consiste em comprimir a terra em fôrmas de madeira no formato de uma grande caixa, denominadas de taipais, onde o material a ser socado é disposto em camadas de aproximadamente quinze centímetros de altura até atingir a densidade ideal, criando assim uma estrutura resistente e durável.

cordwood-shed.jpgCordwood:

É um método de construção bastante antigo que vem sendo empregado até os dias de hoje. Utilizando tocos de madeira, argamassa e palha picada, a técnica do cordwood tem registro de estruturas construídas que já duram séculos.

 

telhado-verde-5Telhado Verde:

Telhado ecológico (ou verde) é uma técnica de arquitetura que consiste na aplicação e uso de solo ou substrato e vegetação sobre uma camada impermeável, geralmente instalada na cobertura de residências, fábricas, escritórios e outras edificações. Suas principais vantagens são facilitar a drenagem, fornecer isolamento acústico e térmico, produzir um diferencial estético e ambiental na edificação, e compensar parcialmente a área impermeável que foi ocupada no térreo da edificação.

 

Anúncios